Resenha: Um menino em um milhão - Monica Wood

Sinopse: Quinn Porter é um guitarrista de meia-idade que nunca conseguiu deslanchar na carreira. Enquanto aguardava sua grande chance na música, foi um marido e pai ausente, e jamais conseguiu estabelecer um vínculo afetivo com o filho, uma criança obcecada pelo Livro dos Recordes e algumas peculiares coleções. Quando o menino morre inesperadamente, alguém precisa substituí-lo em sua tarefa de escoteiro: as visitas semanais à astuta Ona Vitkus, uma centenária imigrante lituana. Quinn assume então o compromisso do filho durante os sete sábados seguintes e tenta ajudar Ona a obter o recorde de Motorista Habilitada Mais Velha. Através do convívio com a idosa, ele descobre aos poucos o filho que nunca conheceu, um menino generoso, sempre disposto a escutar e transformar a vida da sua inusitada amiga. Juntos, os dois encontrarão na amizade uma nova razão para viver. Um Menino em Um Milhão é um livro sensível, poético e bem-humorado, formado por corações partidos e aparentemente sem cura, mas unidos por um elo de impressionante devoção pessoal.

Ona Viktus é uma imigrante lituana. Aos 104 anos, acredita já ter vivido tudo o que uma pessoa pode viver durante sua passagem por este mundo: viu guerras, se casou, trabalhou, teve filhos. A idade avançada também fez com que presenciasse a partida de muitas pessoas queridas. E é nessa posição de quem nada mais espera que ela é surpreendida.

Jovens escoteiros ajudavam a idosa com as tarefas de sua casa, como limpar o quintal e alimentar os pássaros. Alguns passaram por sua vida, mas apenas o menino foi capaz de despertar sua simpatia, seu carinho e sua amizade. O garoto de 11 anos, magricela, obcecado pelo Livro dos Recordes e colecionador de objetos (sempre 10 de cada) foi capaz de trazer objetivos para o futuro para uma vida já tão cheia de passado. 

A ligação entre o menino e a senhora foi tão verdadeira que ela pouco se incomodava em contar detalhes de sua vida enquanto ele gravava tudo com um pequeno gravador. A tarefa escolar de contar a história de uma pessoa idosa preencheu os encontros dos dois e aproximou ainda mais a improvável dupla de amigos. Quanto mais tomava conhecimento da vida de Ona, mais empolgado o menino ficava. Não demorou muito para ele definir uma meta: sua amiga entraria para o Livro dos Recordes como a Motorista Habilitada Mais velha. Os dois se divertiam acompanhando os concorrentes e estudando para a prova de direção.

Mas um dia o menino não apareceu. Em seu lugar, um homem: Quinn Porter, um guitarrista que nunca deu muito certo, pai do menino e duas vezes separado de sua mãe. O pior havia acontecido, de forma inesperada. Ele pouco conhecia o filho, mas agora estava ali para terminar a missão dele como escoteiro durante os sete sábados que ainda restavam. Foi a promessa que fez para sua ex-eposa, Belle. Ele, que já tinha se ausentado tanto e participado tão pouco da vida do menino, não podia negar essa tarefa. Ona, que já havia perdido tanta coisa e tanta gente, inicialmente desconta em Quinn a frustração por ter que viver mais um luto. 

No decorrer da trama, vemos Belle lidando com a dolorosa e irreparável perda de seu único filho, Ona tentando dar continuidade aos planos feitos com o menino e Quinn, finalmente, conhecendo seu filho. 

A autora não deu um nome para o menino e deu poucas falas para ele. Durante as entrevistas feitas com Ona, inferimos suas perguntas pelas respostas que a senhora dá, pois elas também não estão lá. Ainda que com pouca presença concreta, o menino faz parte das páginas do início ao fim. Sua breve vida, como um fio invisível, ligou outras três e foi responsável por importantes mudanças e aprendizados em todas elas.

Narrado em terceira pessoa, Um menino em um milhão aborda diferentes formas de vivenciar o luto, as relações familiares, os laços que construímos ao longo da vida e a importância da amizade. Apesar da premissa emocionante e bonita, não é o tipo de livro que leva lágrimas aos olhos dos leitores. Terminei a leitura com a sensação de que, nessa história específica, me conectaria mais aos personagens se a narrativa fosse em primeira pessoa.

Monica Wood entrega ao leitor uma trama que provoca importantes questionamentos: você tem parado para ouvir? Você conhece bem aqueles a quem ama? Tem estado verdadeiramente presente na vida deles? Quinn, Belle e Ona aprenderam a importância dessas três coisas.


*Exemplar cedido pela editora.

17 comentários:

  1. Olá, tudo bem!
    Nossa, garanto que pelo nome do livro eu nunca que iria imaginar que a história seria assim, rs. Completamente diferente do clichê que eu pensei que seria, fiquei bem curiosa. Amei sua resenha!

    Achei o blog um amor, acabei de seguir.
    Beijos!
    Masen's tale

    ResponderExcluir
  2. Nossa!! Arrasou na resenha!
    Gostaria que fosse em primeira pessoa também, é provável que eu leia, já que tem esse drama que tanto amo!
    Beijos ❤
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla! Luto é algo tão difícil que só quem já passou sabe, gosto de livros com o tema e parece que existe tb uma boa amizade entre o menino e a senhora! Parece um obra bem bonita! Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oi Carla,
    Desde o lançamento desse livro fiquei curiosa sobre como seria a abordagem dessa temática, até porque é bem forte e delicada, né?
    Adorei a resenha e o livro vai para a lista de desejados.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carla!
    Eu já vi muitos comentários positivos sobre esse livro. Ele parece ter uma história bem tocante mesmo.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
  6. Oi Carla, gostei muito da resenha, me deu a oportunidade de conhecer melhor este livro.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Carla, tudo bem?
    Saudades de você lá no blog! <3
    O livro parece ter um tema bem pesado. Não sei se leria, mas gostei da resenha.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Oi Carla, tudo bem?
    Adorei a resenha, fiquei com muita vontade de ler!!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  9. Oi, Carla. Essa capa é inegavelmente linda, mas não sei bem se leria o livro justamente porque não sou boa com histórias de luto e superação, prefiro passar longe. Mas já que a história não dá vontade de chorar, talvez eu adicione na minha lista de livros.
    Beijo!
    https://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Wow, dear, your blog is amazing! I love it! <3
    Would you like to follow each other?
    If yes, please follow me on the my blog. I would be glad. ^_^
    I following you #1177<3
    Have a nice day!


    www.cleopatrassecret.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Livros que abordam esses temas mais "pesados" geralmente nos surpreendem e nos fazem pensar na vida e em nossas atitudes. Adorei a indicação :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi
    essa história parece ser linda, coitada da idosa que perde mais uma pessoa mesmo não sendo parente.Triste um pai que nunca deu chance ao filho, gostei do que falou e deve ser delicada.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi
    essa história parece ser linda, coitada da idosa que perde mais uma pessoa mesmo não sendo parente.Triste um pai que nunca deu chance ao filho, gostei do que falou e deve ser delicada.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi
    essa história parece ser linda, coitada da idosa que perde mais uma pessoa mesmo não sendo parente.Triste um pai que nunca deu chance ao filho, gostei do que falou e deve ser delicada.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Amei a resenha.

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá Carla,

    Faz um tempo que eu vejo esse livro por aí, mas nunca tinha me interessado em ler e ver a sinopse, mas agora até que brotou um interesse. O tema do Luto é um pouco pesado, mas o jeito como ele parece ser tratado no livro deve ser lindo.

    bjs
    http://www.auniversitaria.com

    ResponderExcluir
  17. Fiquei pensando em pedir esse livro, mas fiquei com receio de sofrer kkkkk A capa é maravilhosa e ainda quero muito ler a historia *--*
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo