Virou filme: Os garotos da minha vida - Beverly Donofrio

Sinopse: Beverly é uma típica adolescente americana dos anos 60 quando um acidente de percurso atrapalha sua vida: ela engravida aos 15 anos. Despreparada para ser mãe, segue com sua irresponsável rotina de sexo, drogas e rock n roll, mesmo depois de se casar contra a vontade. Suas perspectivas de vida são as piores possíveis. Ela encontra dificuldades para continuar estudando e se sente infeliz e perdida. Até que um dia, quando dá dinheiro para o marido comprar remédios para o seu filho e ele desaparece em busca de drogas, ela cai na real, e luta com todas as forças para refazer sua vida.

Em Os garotos da minha vida, Beverly nos conta sua própria história. Ela cresceu em uma típica família americana dos anos 50-60, na qual o pai manda e todos - inclusive a mãe - obedecem. Mas aceitar todas as regras como certas nunca foi muito a dela, que questionava desde o fato de seu irmão sentar-se em uma das cabeceiras da mesa de jantar só por ser homem até a necessidade de usar sutiã. As brigas com os pais, como se pode imaginar, eram frequentes e Bev muitas vezes fazia ou dizia coisas pelo simples prazer de chocá-los.

Sua vontade de transgredir e de fazer tudo o que sua família e a sociedade diziam que não deveria ser feito por uma moça, levou a uma vida totalmente desregrada. Ainda adolescente, acaba engravidando e, ao contrário do que diz a sinopse, escolhe se casar com Raymond, pai do bebê. Poderia ser a virada em sua vida, afinal, muitos jovens amadurecem quando passam por essa situação. Mas não Bev e muito menos Raymond. Assim como a esposa, ele não abre mão de suas noitadas com os amigos nem das bebidas e das drogas, até que a situação fica insuportável até para Beverly. Após tomar uma importante decisão, ela segue sua vida cometendo uma sucessão de erros.

A narrativa de Beverly não contém apenas a descrição de suas experiências, mas também seus sentimentos em relação ao que aconteceu com ela. Apesar de nunca ter sido a menina certinha, ela tinha sonhos grandes e precisou deixá-los de lado para viver uma vida que não tinha planejado. Sua frustração está presente em muitas de suas falas, e toca o leitor sem ser piegas. Tal sentimento, a princípio, a impede de construir uma relação verdadeira com o filho, Jason.

Conforme o livro vai se encaminhando para o final e trazendo os acontecimentos de sua vida mais perto dos 30 anos, a escrita de Beverly vai se tornando mais madura, como que acompanhando o crescimento de seu eu-personagem. O sarcasmo vai pouco a pouco dando lugar a questionamentos mais sérios e a uma vontade de correr atrás de objetivos que ainda podem ser alcançados. 

Os garotos da minha vida não pretende em nenhum momento servir de lição para ninguém. Ele não é o retrato de uma jovem que fez tudo errado até o dia em que resolveu mudar e se transformou em alguém "melhor" e bem sucedido. Tampouco as memórias de uma mulher que se arrependeu da vida que teve e das escolhas que fez. É, sim, a trajetória de uma adolescente rebelde e cheia de opiniões fortes que precisou lidar com o caos no qual transformou a própria vida. Aqui não há moral da história, acompanhar o caminho percorrido por ela vale por si só. O que não impede que a gente torça para que ela finalmente se dê bem, como promete o subtítulo do livro.


No cinema, Beverly foi vivida pela atriz Drew Barrymore, que ficou ótima no papel. O filme segue a linha geral da história: adolescente engravida, se casa e passa por muitos problemas. Já os acontecimentos que preenchem cada uma dessas etapas não são tão fiés ao livro. Muitos são colocados em momentos diferentes ou até mesmo criados.

A personalidade de Bev foi o que mais sofreu alteração na passagem do livro para as telas. Sua rebeldia praticamente não tem espaço, e ela é até mesmo doce, frágil e ingênua quando jovem. Suas atitudes foram bastante atenuadas e quase tudo o que fez de reprovável ficou fora do filme ou foi tocado bem de leve.

As diferenças em relação ao livro não tornam o filme ruim, pelo contrário, é uma trama bonita de se ver. A adaptação explora o lado sentimental, que não está tão presente na obra escrita, e vai agradar bastante quem gosta de histórias tocantes.

Trailer:





13 comentários:

  1. Oi, Carla!
    Eu assisti esse filme quando guria e lembro que gostei muito, apesar de não lembrar muito do plot hahhah
    Beijos
    Balaio de Babados | Sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carlinha!!! Eu li o livro, assisti ao filme anos depois e acabei relendo o livro, porque fiquei com muitas dúvidas. De fato eles tiraram vários acontecimentos do contexto real e inventaram outros. A personalidade da Beverly muda bastante do livro para o filme. Acho que eles quiseram contar uma história mais bonitinha e mais leve apesar de ainda conter drama. Mas como vc bem disse, isso não tira o mérito do filme que é mesmo bastante tocante! Eu adoro!

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla,
    O filme parece ser bom, porem, não me chamou muita atenção :/
    No momento não assistiria.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Carla, já vi esse filme umas três vezes e acho lindo, mas não sabia que era uma adaptação de um livro! #chocada kkkkkkk

    Bj, Michele


    Pop Notas

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carla, tudo bem?

    Há alguns anos eu peguei esse filme mais ou menos pela metade, tarde da noite, no Corujão! hahaha
    Acho que assisti uns 20 minutos, mas a história não me prendeu. Não sabia que ele era uma adaptação.
    Mas ao ler sua crítica pude perceber certas nuances que não encontrei naquelas 20 minutos que eu vi...vou ver se tem no catálogo da Netflix! :)

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  6. Oi Carla!
    Não conhecia o livro nem o filme, e gostei muito da postagem. Parece ser uma ótima estória de se acompanhar, me surpreendi ao saber que não é mais uma estória forte cheia de lições, pois o enredo passa essa impressão. Fiquei com vontade de ler ou assistir, ótima recomendação. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com | Sorteio A Rainha Vermelha

    ResponderExcluir
  7. Oi Carla! Eu conheço a história apenas pelo filme, mas curti muito e nem sabia sobre o livro. Vou procurar, gostaria muito de ler.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Oi Carla,
    Eu gosto muito da Drew Barrymore, já assisti esse filme, mas não é um dos meus favoritos não.
    Não sabia que era uma adaptação.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Parece bastante interessante e importante de ser mais conhecido. Valeu pela dica!

    Ei, tá rolando um mega sorteio em parceria com outros blogs. Confira e participe! *_*
    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
  10. Oi Carla,

    Eu tenho uma resenha muito antiga desse livro e me lembro que na época eu li ele exatamente por causa do filme. Gostei dos dois e acho que o livro preenche lacunas que o filme deixa em aberto; para mim eles se complementam.

    Bjs, @dnisin
    www.sejacult.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Carlinha! Tô conhecendo seu blog hoje e já curti muito. Vou seguir ok? Vou deixar o meu blog no final, e se sinta a vontade para visitar.
    Sobre o post: Adorei. Nunca tinha ouvido falar nem do livro, nem do filme, mas me deu uma baita vontade de ler e ver o filme!! Kd? rss.
    Obrigada! Sucesso! Beijos.
    www.chadefirulas.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi oi, tudo bem? Bom, eu não conhecia o livro nem o filme, mas me interessei em assisto-lo, assim que possível vou fazer isso! Muito bacana o seu post!

    Um super beijo,
    Carol.

    Lendo Distopias

    ResponderExcluir
  13. Lembro de ter assistido a um bom tempo atras esse filme, mas nao fazia ideia que existia o livro, vou procura-lo para ver se simpatizo mais com o livro.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo