Resenha: Queria ver você feliz - Adriana Falcão

Sinopse: Há quem o chame de Eros, Kama, Philea ou Ahava. O Amor, esse personagem mítico, desempenha o papel de narrador na história real do casal Caio e Maria Augusta, pais da autora Adriana Falcão. O Amor se descreve como perfeccionista e obcecado pelos detalhes, nada que o impeça de ser um bocado descuidado com as consequências dos sentimentos que provoca com suas flechas. Assim, com uma linguagem poética e ao mesmo tempo muito bem-humorada, Adriana revela para seus leitores aquilo que poderia ser descrito como uma história trágica protagonizada por dois personagens atormentados por seus demônios. Apaixonados, Caio e Maria Augusta se casam no Rio de Janeiro da década de 1950 e têm três filhas. Todo o sentimento que eles compartilham não impede que a personalidade exuberante de Maria Augusta se torne mais obsessiva e asfixiante com o passar do tempo, apesar dos medicamentos e dos tratamentos psiquiátricos. Caio, por sua vez, aprofunda uma melancolia que existia nele desde a adolescência, e que culmina nos anos 1970 em tentativas de suicídio. Mais do que uma história com um final dramático, trata-se de memórias afetivas que alternam momentos de intensa felicidade e outros tantos de dor, como acontece nas melhores famílias.

Queria ver você feliz foi uma leitura diferente. Apesar de ser uma obra de não-ficção, possui uma escrita romanceada. Nele, conhecemos a história de amor de Caio e Maria Augusta, pais da autora. Adriana, porém, em nenhum momento se coloca na posição de quem conta os momentos vividos pelo casal. O narrador é ninguém menos que o Amor, que logo no início avisa:

"Faz parte da minha natureza transgredir, invadir, violar. Não me interessa desimpedir impedimentos, não necessito de acordos, não me aprazem os “a contento”, não sou de pedir licença, não estou nem aí para sorrisos hospitaleiros, não me venham com xícaras de chá. Estou, sim, belicosamente plantado no meio de olhos que não se devem olhar, corpos interditos, condições incompatíveis, atos ilícitos, corações desautorizados".

Apresentações feitas, o Amor inicia sua descrição dos fatos. Era maio de 1947 quando Maria Augusta, então com 14 anos, e Caio, 15 anos, se conheceram. O romance não demorou a começar, apesar da não aprovação da mãe de Maria Augusta. Desde essa época, a menina já demonstrava possuir traços obsessivos e exigia a presença constante do namorado que, por sua vez, era extremamente ciumento.

Para alegria de nosso ilustre narrador, que adora um empecilho para se tornar ainda mais forte, Maria Augusta é obrigada pela mãe a passar as férias na casa de parentes em outro estado. Cartas e mais cartas são enviadas por ela quase diariamente declarando seu amor e sua saudade. Se Caio não escrevesse com a mesma frequência ou esquecesse de usar formas de tratamento carinhosas, a menina sofria, chorava e escrevia reclamando. O livro traz as cartas trocadas por eles e, mesmo não sendo o destinatário daquelas palavras, é possível para o leitor sentir o amor sufocante de Maria Augusta.

Alguns anos depois vieram o casamento e as filhas. Foi, sem dúvida, a fase mais difícil para o casal. Crises, remédios e tratamentos psiquiátricos passaram a fazer parte da rotina da família. 

Toda a carga dramática da história é contrabalanceada com a narração do Amor. Muitas de suas colocações são bonitas, quase poéticas, daquele tipo que a gente marca para nunca esquecer; outras são divertidas, sarcásticas até. Sem dúvida a escolha por esse estilo de narrativa contribuiu para tornar a história muito mais interessante de ler.

"Se tem uma coisa que me encanta é acompanhar os momentos de virada na vida das pessoas. Uma decisão, uma desistência, um desvio, uma pergunta, um silêncio, e de repente uma possibilidade de futuro desmorona e uma outra aparece, inesperadamente. Muitas vezes as pessoas nem percebem na hora que aquela hora é decisiva. Quando vêm enxergar isso, já tomaram um caminho que pode terminar em arrependimento, ou em alívio. Penso que se fosse dado aos humanos o direito de voltar atrás e mudar algum ponto da trajetória, talvez eles passassem a eternidade para trás e para a frente e suas histórias não terminassem nunca. Nem todo mundo consegue identificar em que ponto, exatamente, este ou aquele rumo se traçou. Mas eu consigo".

Recheado de cartas, bilhetes e fotos, Queria ver você feliz é um livro sobre o amor. O amor que tudo tolera, que tudo suporta, que vence quase qualquer coisa. É bonito e ao mesmo tempo angustiante acompanhar a trajetória do casal, intensa desde o início. Tentar rotular a relação como doentia ou enquadrar cada um em uma entidade nosológica é quase irresistível. Mas, contrariando qualquer tentativa de intelectualização, a explicação do nosso narrador (e, quem sabe, da autora) é uma só e bem simples: amor demais. Fiquemos com ela.

17 comentários:

  1. Oi, Carla! Tudo bem? Ahhh adorei a resenha! <3 Essa capa é tão linda e delicada, né? Amo ela! *---* E saber que o livro fala de amor só me faz querer lê-lo logo! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O livro parece bem intenso. Que coisa linda o final da sua resenha, Carla. Mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Haa não acredito que você fez essa resenha, vou postar a minha amanhã rs.
    Eu amei tanto esse livro, mas tanto, a forma que o amor deles foi colocado é tão diferente e intensa, mesmo parecendo uma loucura total, achei eles tão lindos.
    Sua resenha ficou ótima e retratou exatamente o que livro passa.
    Beijão

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério, Camila? Agora fiquei curiosa pra ler a sua. Vou passar lá mais tarde.

      Excluir
  4. Oi, Carla, tudo bem?

    Caramba, que interessante o livro ser narrado pelo amor. Só esse fato já me deixou bastante curiosa em relação ao livro!
    Realmente parece ser um livro bem dramático e denso, e, mesmo ele não sendo de um gênero que eu costumo ler, fiquei bastante interessada.
    Sua resenha ficou ótima, parabéns! ;)

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é, Tamires? Ainda mais sendo uma biografia, que geralmente não tem esse tipo de narrador-personagem.

      Excluir
  5. Que livro diferente, nunca tinha ouvido falar dele e estou encantada!
    Adoro ler histórias reais românticas, principalmente assim, bem dramáticas!
    Já está anotado na wishlist!
    A resenha ficou incrível, parabéns!
    Beijinhos,
    Alice
    www.woderbooksdaalice.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também foi uma feliz surpresa pra mim, Alice. O livro é curtinho, mas nem parece de tão intenso que é. É dramático e muito bonito, leia quando puder! ;)

      Excluir
  6. Carla, eu não conhecia o livro mas amei a premissa. Adoro histórias que envolvem cartas e amores arrebatadores.
    Um beijo!
    Conheci o blog agora e é encantador. Parabéns à vocês.
    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá, Carla.
    Parabéns pela resenha, ficou ótima. Infelizmente eu não gosto muito de ler livros que não são ficção. Mesmo o assunto sendo o romance. Mas sei que muita gente vai se interessar.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! O livro não segue o estilo das biografias que estamos acostumadas a ler. Quem começa a ler sem saber pode facilmente achar que é ficção (o que não se sustenta, é claro, pela presença das fotos).

      Beijos, Entre Aspas

      Excluir
  8. Toda vez que eu entro nesse blog ele está de cara nova. Ficou lindooo esse novo layout. Ta certo que ando meio sumida por causa da correria, mas sempre que da estou por aqui. Mesmo que demore. Vou fazer a Tag que você me marcou, obrigada.
    Adoro histórias sobre amor, e esse livro me chamou bastante atenção quando você mencionou do amor que tudo supera, tudo tolera. Já adicionei na listinha de desejados.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu comprei esse livro pra dar como parte de um sorteio e agora que vi sua resenha estou querendo para mim. kkkkkkk Pelo menos sei que é bom mesmo. :D

    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compre já outro exemplar pra você!! Ahahaha!

      Excluir
  10. Primeiramente eu gostaria de falar que essa capa é incrível! Eu compraria o livro só pela capa... Mas sua resenha também ficou ótima, então eu compraria porque você me convenceu a le-lo. Enfim, parabéns pelo blog.

    Abraços,

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
  11. Esse livro parece ser tão lindo, fiquei emocionada só de ler sua resenha, ainda mais por ser uma história real. Acho importante lermos histórias assim, porque muitas vezes deixamos de acreditar no amor e na possibilidade de encontrarmos algo assim em nossas vidas, e ler uma história de amor verdadeira faz com que nossas esperanças sejam renovadas, e que a gente entenda que nada é perfeito, que até mesmo uma história de amor é carregada de falhas e imperfeições.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo