Resenha: Claros sinais de loucura - Karen Harrington

Sinopse: Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de "O sol é para todos". Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra. Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.

A passagem da infância para a adolescência costuma ser um período turbulento para todo mundo. Para Sarah Nelson as coisas são ainda mais complicadas. Prestes a completar doze anos, a menina já passou por situações nada típicas. Quando tinha apenas dois anos, sua mãe tentou afogar a menina e seu irmão gêmeo, Simon, que não teve sua sorte e faleceu. Depois disso, sua mãe foi internada em uma instituição psiquiátrica e seu pai entregou-se à bebida, tornando-se cada vez mais distante.

Desde o ocorrido, Sarah e seu pai vivem se mudando. É que o caso da família tornou-se muito famoso e é sempre lembrado pelos noticiários quando algo similar acontece ou quando completa mais um ano. E daí para vizinhos reconheceram os dois e lançarem olhares de pena ou fazerem julgamentos é um pulo. 

Como se tudo isso não fosse suficiente, ela tem ainda outras preocupações: a árvore genealógica que terá que fazer no sétimo ano (que acabará expondo sua história) e a possibilidade de também ficar louca. Sarah vive procurando em si e em suas atitudes sinais de loucura. Sem muitos amigos e sem coragem para dividir certos assuntos com os que tem, mantém dois diários: um de mentira, onde escreve trivialidades e outro de verdade. A única que sabe todos os seus segredos é Planta. 

Talvez por toda a sua história, Sarah é uma menina bem madura para a idade. Gosta de ler e tem praticamente uma palavra preferida por dia. Mas tem também as inseguranças e dúvidas normais de garotas de doze anos.

Durante a maior parte do livro, a protagonista parece esconder até de si mesma seus sentimentos. Era pequena ainda na última vez que visitou a mãe e, desde então, prefere manter distância. O livro começa a ficar mais tocante e reflexivo à medida que Sarah vai reconhecendo a falta que uma mãe faz e que vai crescendo nela a vontade de saber mais a respeito não da Jane Nelson dos jornais, mas da mãe que não teve tempo de conhecer. Através de cartas ao seu personagem favorito, anotações em seu diário e acessos de raiva com seu pai, Sarah passa a expor cada vez mais seus pensamentos, seus medos e suas vontades.

Karen Harrington traz ao leitor uma história de mudanças, descobertas e crescimento. Apesar de tratar de temas pesados, a autora soube colocar leveza na trama. Os capítulos são curtos e a leitura flui bem. Carismática na maior parte da história, Sarah é um pouco dramática em alguns momentos, mas aos doze tudo é mais intenso. Os personagens secundários também têm um papel de destaque na trama e fazem diferença na história.

Claros sinais de loucura é daquele tipo de livro que a gente vai lendo e separando passagens bacanas. É linear, sem grandes acontecimentos ou reviravoltas. Reflexivo, como disse antes. Gostei muito da leitura, mas poderia ter gostado mais. Senti falta de um desenvolvimento maior para o desfecho de Sarah e Jane. Achei que a menina não conseguiu as respostas que queria e tanto buscou. Alguns livros têm final aberto e funciona bem, mas nesse caso a sensação foi de que não estava completo. Cheguei ao ponto final querendo mais.

6 comentários:

  1. Oi ...
    Esse livro está dentre os meus desejados , mas , confesso que o seu último comentário sobre o livro me desanimou a comprar . Sempre fico chateada com livros que "acabam sem acabar ".

    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi !
    Gostei muito da resenha kk acabei me interessando bastante pelo livro, gosto muito de leituras reflexivas e cheguei até mesmo a me identificar um pouco com a personagem (só pela sua resenha).
    Beijinho :*

    http://www.sorvete-literario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla!
    Parece uma boa história, obrigada pela dica!

    :*

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro, a premissa é muito interessante, um tema muito forte que me deixou muito curiosa pela leitura, gosto de livros com capítulos curtos, e por incrível que pareça, adoro quando deixam um final aberto para que possamos pensar além do que tem escrito e refletir sobre a mensagem e acontecimentos. Adorei sua resenha, muito bem escrita.

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante da sinopse, mas gostei ainda mais da sua resenha. Você escreveu um texto que dá ao leitor a vontade de ler e conhecer a história e isso é difícil de acontecer. Agora eu quero o livro, me dá de presente? HAHAHAHA

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Carla!
    Estou com esse livro aqui e doida para ler, só falta conseguir encaixá-lo na minha fila de leitura.
    Gostei da resenha e dos pontos que você ressaltou.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo