Resenha: A base do iceberg - Flávio Sanso

Sinopse: Pedro é um jornalista aficionado pela história de seu país, sobretudo no que diz respeito ao episódio conhecido como Revolução Fraterna. Em meio a conflitos internos que envolvem a culpa pelo fim do casamento e a frustração causada pela derrocada de sua carreira, ele tem a grande oportunidade de se dedicar a um projeto que lhe permite extravasar o seu idealismo. Mas essa também será a forma de descobrir que tudo vai muito mais além do que aquilo que se pensa conhecer.

E é assim, com essa sinopse curtinha, que somos apresentados à trama de A base do iceberg. Ao abrir o livro, nos deparamos com uma epígrafe de ninguém menos que Machado de Assis. A leitura promete... e cumpre! 

O protagonista é Pedro, jornalista que leva uma vida que já não o satisfaz. Todos os dias vai se arrastando para o trabalho, onde precisa lidar com o chefe Iago e suas constantes críticas ao seu trabalho. O casamento também não vai nada bem e, finalmente, chega ao fim. Essa não é a única mudança na vida de Pedro. Um de seus colegas de trabalho, Miguel, convence-o a abandonar o emprego e juntar-se a ele em um projeto: escrever uma biografia sobre Donatelo Veras, líder da Revolução Fraterna.

Fascinado pelo tema e admirador incondicional de Donatelo, Pedro passa meses se dedicando a pesquisar e escrever. Muitas vezes foi criticado pelo ex-chefe por sua admiração a esse importante personagem da história nacional, mas Pedro é um idealista e alguém que consegue enxergar no passado do país as raízes do cenário atual.

"Sempre se cultivou a teimosia de abandonar a história tão esquecida quanto os objetos sem importância que ser largam em algum canto, perpetuando o engano consistente em julgar o exercício de rememorar acontecimentos do passado, por meio de análises à luz de um contexto histórico, como ameaça ao plano progressista de uma nação moderna".

Iniciada a escrita da biografia, cada capítulo tem início com um pequeno trecho da mesma. A Revolução Fraterna é fictícia, obra da imaginação do autor, mas a descrição dos acontecimentos é tão detalhada e rica, que é quase possível acreditar que ela de fato aconteceu. Muitas passagens fazem alusões a fatos históricos do nosso país, como a censura e as torturas, características do período da Ditadura Militar.

Conforme Pedro vai avançando em suas pesquisas para finalizar o livro, toma conhecimento de coisas que sequer imaginava. Será que os livros de História, aquilo que nos ensinam na escola e os fatos que são contados de geração para geração são fiéis a realidade? Descobertas e reviravoltas encaminham o livro para um desfecho surpreendente.

"Arrastava-me pela cidade cheia de rostos que desconheciam quanto o passado do nosso país poderia causar náuseas. Mas talvez a maioria deles nem se importasse com a realidade do que se passou e que nunca esteve à mostra".

Narrado em primeira pessoa, o livro nos permite acompanhar passo a passo das reflexões de Pedro. Alguns poucos capítulos são narrados por outros personagens, tornando possível ver a trama por todos os ângulos. Com capítulos curtos (para a felicidade de quem, assim como eu, tem dificuldade de interromper a leitura no meio de um capítulo), em nenhum momento a leitura é cansativa, pelo contrário, flui de maneira tranquila.

A base do iceberg é um livro extremamente inteligente! Foi, sem dúvida, uma das melhores leituras desse ano. Flavio Sanso escreve de uma maneira incrível! Sua escrita rebuscada, porém sem ser chata ou difícil, está totalmente de acordo com o tema que quis trabalhar. 

A história criada pelo autor, com pinceladas de realidade por toda a parte, funciona como um chacoalhão no leitor, um convite para a reflexão acerca do que acontece ao nosso redor e que, por falta de interesse, por conformismo ou uma fé cega, nem sempre nos damos conta.

10 comentários:

  1. Oi Carla, tudo bem?
    Apesar de não ter achado o enredo tão interessante e não me agradar em nada uma escrita rebuscada, eu gosto de narrativas inteligentes e reflexivas, essas foram as características que me atraíram.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty! É rebuscada no sentido de ter um vocabulário extenso e ser bem trabalhada, e não de um jeito "antiquado" ou enfeitada demais a ponto de precisarmos ler com dicionário do lado.
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá,
    Já tinha visto algo sobre esse livro por aí, mas não tinha chegado a me interessar. Porém sua resenha foi tão animada e eu ando atrás de livros inteligentes pra ler!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla,
    Vim visitar seu blog!
    Gostei da resenha, gosto de história e ter um jornalista que larga tudo para se aprofundar nisso me chamou a atenção
    Colocarei como uma leitura futura
    Parabéns pelo blog
    beijos

    http://entree-virgulas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Carla, obrigado pela visita lá no Doces Letras.
    Eu não conhecia o autor e nem tinha visto nada sobre o livro.
    Apesar de não ser muito o estilo que gosto de ler, vou anotar a dica, pois gosto de variar de vez em quando. Sempre é válido dar uma chance para novos autores.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Carla!
    Não conhecia o livro, parece interessante, mas a premissa não me chamou a atenção, não sei se é o tipo de livro que leria no momento.
    Gostei bastante da sua resenha.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia esse livro e a história parece ser bem bacana. É muito bom quando lemos um livro e ele não se torna cansativo né!? Gostei da resenha.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olha eu nem conhecia esse livro, mas pela sua resenha achei bastante interessante tudo que vc falou da história, mas eu acho que não é muito meu gênero de leitura sabe? Principalmente no momento em que estou agora só lendo romances. Acho que quando eu tiver em um momento menos romantico é capaz que eu leia um livro assim, mas por agora não, apesar que gostei do que vc falou do livro, mas mesmo não sendo mto meu gênero como eu citei, eu gosto de conhecer sem antes de julgar, até porque podemos nos surpreender né? Enfim...

    Se cuida e bom domingo pra vc
    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leitura é assim mesmo, né?! Sempre temos nosso estilo preferido ou passamos por uma fase em que certos temas nos atraem mais.
      Beijão, Sil!

      Excluir
  8. Adorei a resenha e já quero ler o livro !
    http://tendenciadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo