Novidades dos parceiros: Pedrazul Editora

Olá, pessoal! 
Quem vive atento ao catálogo da Netflix já deve ter reparado que por esses dias uma série nova estreou no site: Anne with an E. O que nem todo mundo deve saber é que ela é baseada no livro Anne de Avonlea, sequência de Anne de Green Gables.

Publicado pela Pedrazul, o livro entrou ontem em pré-venda no site da editora, que lançará todos os oito volumes. Há ainda a previsão de uma segunda edição do primeiro livro para junho de 2017, atualmente esgotado por lá.


Desde que chegou a Green Gables, como uma menina órfã, Anne Shirley conquistou o amor da população de Avonlea e a reputação de se meter em confusões. Agora com de 16 anos, sentindo-se quase adulta, suas aventuras continuam a emocionar e a divertir o leitor. A jovenzinha de olhos acinzentados e cabelos ruivos, tão apimentados quanto o seu temperamento, é a nova professora da escola municipal, e, por ser pouco mais velha que seus alunos, a realidade de seu trabalho torna-se um verdadeiro teste para seu caráter. Além de ensinar gramática e ortografia, Anne passa a entender como a vida pode ficar complicada quando ela interfere no romance de seus amigos, e quando começa a questionar o estranho comportamento do charmoso Gilbert Blythe.  Seu espírito irrepreensível e sua imaginação vibrante com frequência a colocam em divertidas travessuras e confusões, e sua incessante busca por ‘almas gêmeas’ a coloca em contato com novos e adoráveis personagens. Nesta clássica sequência de Anne de Green Gables, a autora mais uma vez descreve suas memórias juvenis da Ilha de Príncipe Edward, ao retratar a antiga vila de Avonlea, situada entre as belezas naturais da costa canadense. Apesar de Anne e seus amigos habitarem épocas antigas, quando ainda eram utilizadas lamparinas e charretes, os sonhos para o futuro, as sublimes aspirações, e visões românticas fazem de Anne uma heroína para todas as idades e de todos os tempos. Desde a estreia de Anne em 1908, gerações de leitores ao redor do mundo cresceram na companhia da jovem moça de olhos vivazes e cabelos brilhantes que repete o tempo todo: "por favor, diga que são acobreados, não ruivos"

A previsão de entrega para quem comprar na pré-venda é 30 de julho. 

Resenha: Jardins da Lua #1 - O livro Malazano dos Caídos - Steven Erikson

Sinopse: Desde pequeno, Ganoes Paran decidiu trocar os privilégios da nobreza malazana por uma vida a serviço do exército imperial. O que o jovem capitão não sabia, porém, era que seu destino acabaria entrelaçado aos desígnios dos deuses, e que ele seria praticamente arremessado ao centro de um dos maiores conflitos que o Império Malazano já tinha visto. Paran é enviado a Darujhistan, a última entre as Cidades Livres de ­Genabackis, onde deve assumir o comando dos Queimadores de Pontes, um lendário esquadrão de elite. O local ainda resiste à ocupação malazana e é a joia cobiçada pela imperatriz Laseen, que não está disposta a estancar o derramamento de sangue enquanto não conquistá-lo. Porém, em pouco tempo fica claro que essa não será uma campanha militar comum: na Cidade do Fogo Azul não está em jogo apenas o futuro do Império Malazano, mas estão envolvidos também deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inimaginável. Em Jardins da lua, Steven Erikson nos apresenta um universo com­plexo de cenários estonteantes e ações vertiginosas que mostram por que esta é considerada uma das maiores sagas épicas.

Esse livro nos traz um mundo de magia com Imperadores e Imperatrizes, conquistas e lutas, ricamente delineado e sem ser cansativo. O autor consegue detalhar as cenas, as lutas, cheiros de uma maneira admirável.

O reino que encontramos em Jardins da Lua é bem fundamentado e traz consigo o mapa da região e seus principais personagens. O tempo da história é bem dividido não deixando dúvidas a respeito de em que parte do processo estamos, assim como as classes sociais e seus rituais. E claro que parte da diversão de um universo fantástico é ver criaturas míticas ganharem vida. Assim como suas batalhas. Contudo, é conhecida por ser um tanto quanto complexa e não destinada à leitores preguiçosos, como o próprio autor explana em seu prefácio.

Vejamos...

O imperador Kellanved foi o fundador do Império Malazano. Após anos de um bom governo, Kellanved é assassinado por Surly, comandante da Garra, e hoje é conhecida por Laseen: nova governante do Império.

Logo, a nossa leitura se inicia com uma traição, a favor da ganância para o domínio de um reino a qualquer custo, não lhe interessando quantos soldados e cidadãos morrerão nessa jornada. Cruel, Laseen quer todas as cidades para si. Mas, uma Cidade Livre ainda resiste: Darusjhistan.

Aqui não iremos contar sobre uma guerra comum. Não mesmo. Essa guerra envolve deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inacreditável, com exércitos com nomes diferenciados. Uma guerra de conquista no continente além-mar de Genabackis. E como disse, os deuses não ficaram de fora dessa: a Alta Casa da Sombra, o Trono Sombrio com seus 7 cães da Sombra, Baran, Engrenagem, Cega, Cruxifixo, Shan, Doan e Ganrod. E do outro lado dos deuses: Oponn.

Ganoes Paran, um homem da Nobreza a serviço do Exército Malazano com a patente de capitão, será um dos sujeitos atuantes nessa batalha. Durante uma delas, ele conhece Lorn, a conselheira da Imperatriz Laseen que o envia em uma missão secreta. Durante o trajeto, ele é apresentado de maneira não convencional a Topper, que é o encarregado em vigiá-lo e entregar orientações de seu serviço.

Paran é uma figura chave nessa história. Ele será um peão a serviço dos deuses. Estaria ele a serviço da Imperatriz Laseen ou colocado na batalha por aliados do antigo imperador? Com a necessidade de se provar capaz em sua posição, ele é uma personagem que se desenvolve em habilidades, mas apreensivo por estar em uma ocupação maior que concebia em trabalhos anteriores.

E contamos também com a Cria da Lua, a gigantesca fortaleza flutuante de Anomander Rake, Lorde dos Tiste Andii e portador de Dragnipur (uma das espadas mais atraentes e poderosas que você irá se deparar), aliado de Calladan Brood, líder da resistência contra os exércitos de Malaz. Aliança essa que perdura por milênios e é o maior entrave à conquista Malazana nesse continente, pois ambos são possuidores de um poder destrutivo que pode dizimar todos a sua volta.

Combates devastadores, traições em cada grupo, desconfiança, alianças frágeis, segredos revelados são a base desse primeiro volume de Jardins da Lua. Cada personagem é ricamente detalhado com histórias regressas e personalidades marcantes.

*Exemplar cedido pela editora.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo