Resenha: O sol também é uma estrela - Nicola Yoon

Sinopse: Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história. Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois. O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

Nova York. Dois adolescentes estão dando início a um dia que pode definir os rumos de suas vidas. Natasha é jamaicana e faz parte de uma família de imigrantes. Morando nos Estados Unidos desde os 8 anos de idade, está prestes a ser deportada ao seu país de origem desde que a situação ilegal da família foi descoberta. Mas ela não está pronta para desistir e tem um encontro marcado com um advogado conhecido por conseguir reverter situações como a sua.

Daniel é americano, filho de pais coreanos que conseguiram construir uma vida bem sucedida nos Estados Unidos.  Por já terem passado por muitas dificuldades, acreditam que a medicina trará melhores oportunidades e um caminho sem preocupações para os filhos. Daniel não quer ser médico, mas tem um encontro marcado com um entrevistador de Yale.

O caminho dos dois desconhecidos acaba se cruzando depois de uma série de fatos que a cética e racional Natasha descreveria como coincidências e o sonhador Daniel como destino. Dado o encontro, tem início um dia que marcará suas jovens vidas para sempre.

O sol também é uma estrela narra as 12 horas que nossos protagonistas compartilharam. Diferente da maioria dos livros, ele não é dividido em capítulos. A narrativa é em primeira pessoa e alterna as visões de Natasha e de Daniel, permitindo que o leitor saiba não só tudo o que cada um pensa sobre as situações de forma mais completa, como também consiga entender a personalidade de ambos sem precisar de descrições.

Nicola Yoon conseguiu escrever uma história que se passa em apenas um dia sem que o desenvolvimento se tornasse muito corrido ou, o que é pior, arrastado. A trama é cheia de acontecimentos, mas todos eles são trabalhados no ritmo certo. Grande parte do texto consiste em diálogos, coerentes com a idade dos personagens, mas inteligentes e bem escritos.

Agora você deve estar se perguntando: "tem romance?", e eu te respondo que tem, sim. Desde a primeira vez que Daniel coloca os olhos em Natasha, a beleza da menina chama a sua atenção. Algumas conversas depois, ela aconselha o menino de gravata que escreve poesias em um caderninho a não se apaixonar por ela. Daniel acredita que certas pessoas estão destinadas a ficarem juntas, no final feliz, no amor romântico. Natasha acha que a paixão não passa de reações químicas do organismo, que o amor não é confiável, já que começa e termina, e que não existe isso de felizes para sempre. Além do mais, ao que tudo indica, no fim do dia ela e sua família voarão para longe.

A forma como a autora construiu a relação dos dois tornou tudo muito fácil de acreditar. Ambos são jovens e estão passando por situações importantes, definidoras de boa parte de seu futuro. Em um dia tão importante, acabaram encontrando um no outro um suporte que nem sabiam que precisavam. As muitas conversas ao longo do dia foram pouco a pouco se tornando mais profundas e reveladoras, fazendo com que a intimidade e a ligação entre eles crescesse gradualmente. Nada parece forçado, e quando me dei conta já estava torcendo para que tudo desse certo.

A escrita de Nicola deixa claro que ela tem muito de seu personagem Daniel. Várias vezes ao longo da trama nos deparamos com alguma ação ou alguma situação aparentemente sem importância e lá na frente vemos que aquilo teve uma consequência. Um gesto, uma fala... Quantas vezes mudamos ou temos nossa vida mudada por algo que fizemos ou fizeram por nós de forma totalmente despretensiosa? Tudo importa! Tudo está ligado! 

O final do livro foi uma mistura da personalidade do casal de protagonistas: coerente e realista como Natasha, mas, como acredita Daniel, mostrando que o que tem que acontecer, acontece. Não importa quanto tempo passe.


*Exemplar cedido pela editora.

5 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Eu quero muito ler esse livro, porém pretendo ler "Tudo e todas as coisas" antes... Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carla.
    Há menina estava mesmo esperando ler alguma resenha sobre esse livro, acredito que gostaria da leitura. Mas talvez não para agora, ele fluí bem? É que lendo assim parece aquela leitura meio morna.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla,
    Eu gostei desse livro, algumas coisas me incomodaram, mas ao todo foi muito diferente de tudo o que eu já li.
    Então acho que vale a pena indicar!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Carla! Eu gostei bastante de Tudo e Todas As Coisas e este novo livro da autora também é muito bom. E aquele final foi lindo.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carlinha

    Eu amei esse livro! A Nicola tem o dom de escrever histórias fora da caixinha, né? Eu achei o enredo super pertinente apesar do instalove... foi muito crível! Agora estou na torcida para que ele vire filme também! Hahahaha

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo