Falando de... Superação

Todos nós passamos por momentos difíceis. Pode ser a perda de um amor, a morte de alguém querido, uma doença ou situações mais extremas. Quando isso acontece, o objetivo passa a ser conseguir superar as adversidades e voltar a sorrir. Isso não é exclusividade nossa, muitos personagens passaram por isso também, rendendo belas histórias de superação. 



Depois de você - Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la. Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

Aonde quer que eu vá - O sonho da vida de Ester se realizou. A Confederação Brasileira de Ginástica a escolhe como representante nacional nos Jogos Olímpicos em Sydney, 2000. Ester vivencia um paradoxo entre o caos de um campeonato mundial e seu amor incondicional pelo esporte, tendo que vencer seus próprios medos e conflitos longe de sua família. O pior acontece; a ginasta, abalada, volta ao Brasil, onde um reencontro inesperado renova sua esperança. Mas será o amor a força suficiente para mover não apenas seu corpo, mas todo seu coração? 

Por lugares incríveis - Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.



O livro de memórias - Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível. E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença genética que aos poucos vai apagar sua memória e acabar com sua saúde física. Ela só precisa de um novo plano. É assim que Sammie começa a escrever o livro de memórias: anotações para ela mesma poder ler no futuro e jamais esquecer. Ali, a garota registra cada detalhe de seu primeiro encontro perfeito com Stuart, um jovem escritor por quem sempre foi apaixonada, e admite o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância de quem acabou se afastando. Porém, mesmo com esse registro diário, manter suas lembranças e conquistar seus sonhos pode ser mais difícil do que ela esperava.

A lista negra - E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

Fale! - “Fale sobre você... Queremos saber o que tem a dizer.” Desde o primeiro momento, quando começou a estudar no colégio Merryweather, Melinda sabia que isso não passava de uma mentira deslavada, uma típica farsa encenada para os calouros. Os poucos amigos que tinha, ela perdeu ou vai perder, acabou isolada e jogada para escanteio. O que não é de admirar, afinal, a garota ligou para a polícia, destruiu a tradicional festinha que os veteranos promovem para comemorar a chegada das férias e, de quebra, mandou vários colegas para a cadeia. E agora ninguém mais quer saber dela, nem ao menos lhe dirigem a palavra - insultos e deboches, sim - ou lhe dedicam alguns minutos de atenção, com duvidosas exceções. Com o passar dos dias, Melinda vai murchando como uma planta sem água e emudece. Está tão só e tão fragilizada que não tem mais forças para reagir. Finalmente encontra abrigo nas aulas de arte, e será por meio de seu projeto artístico que tentará retomar a vida e enfrentar seus demônios: o que, de fato, ocorreu naquela maldita festa?



Um dia de cada vez - Alexi Littrell era uma adolescente normal até que, em uma noite de verão, sua vida é devastada. Envergonhada, a menina começa a se arranhar e a contar compulsivamente uma tentativa de fazer a dor física se sobrepor ao sofrimento que passou a esconder de todos. Ela só consegue sobreviver ao terceiro ano do ensino médio graças às letras de música que um desconhecido escreve em sua carteira. As canções parecem adivinhar o que o coração de Alexi está sentindo. Bodee Lennox nunca foi um adolescente normal, mas agora é o menino que teve a mãe assassinada pelo pai. Em seguida, ele vai morar com os Littrell, e Alexi acaba descobrindo que o Garoto Ki-Suco, o quieto e desajeitado menino de cabelos coloridos, pode ser um ótimo amigo. Em Um dia de cada vez, Alexi e Bodee, ao mesmo tempo em que fingem para o resto do mundo que está tudo bem, passam a apoiar um ao outro, tentando viver um dia de cada vez.

Irmãs em Auschwitz - Irmãs em Auschwitz é escrito com simplicidade e graça E o sentimento avassalador que nos toma ao finalizar a leitura é um triunfo: ainda é possível encontrar altruísmo e união entre pessoas que vivem em um lugar de horror implacável. - Los Angeles Times Book Review Uma das poucas pessoas a se entregar voluntariamente para o exército alemão e ir a um campo de concentração quando ainda se acreditava que eram apenas campos de trabalho Rena Kornreich fez parte do primeiro transporte em massa de judeus para Auschwitz e sobreviveu ao campo nazista por mais de três anos, junto a sua irmã mais nova Danka. Juntas, ambas tiveram de ser resilientes a cada a perversidade vivenciada durante o período de aprisionamento. E, a despeito da iminência da morte, das doenças, das surras e do trabalho forçado, os relatos de Rena a respeito da convivência entre as prisioneiras nos garantem que a empatia emergida dentro de cada dormitório e de cada grupo de trabalho encorajou essas mulheres a permanecerem unidas até que Auschwitz fosse libertado e suas vidas fossem devolvidas para sempre.

Passarinha - No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo. Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária. 


Gostaram da lista de hoje? Deixem mais sugestões nos comentários, caso lembrem de outros livros com a mesma temática.

Resenha Premiada: Dois Mundos (Tesouros da tribo de Dana #1) - Simone O. Marques

Sinopse: Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo... Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.

O ano é 2021 e a Terra está devastada desde o dia que ficou conhecido como Dia da Aurora. E a responsável por tudo isso é uma menina que na época tinha apenas 13 anos. 

Marina não era uma adolescente comum. Na idade em que deveria estar frequentando a escola e passando os finais de semana se divertindo com as amigas, descobre que é o avatar de três deusas celtas: Dana, Morrigan e Brigite. E mais, que em plena Chapada dos Veadeiros existe uma fazenda conhecida como Tribo de Dana que abriga druidas, sacerdotisas e os guerreiros de Dana. É lá que ela passa a morar a partir de então. Chamada de Pequena Dana pelos habitantes do local, ela é respeitada, admirada e cuidada por todos.

Dona de poderes que nem desconfiava, a menina provocou grandes mudanças no mundo. A maior delas se deu no dia de seu décimo terceiro aniversário, quando foi atacada por religiosos que a viam como o verdadeiro anticristo. Sua reação provocou uma onda de tremores, destruindo cidades inteiras e fazendo os sobreviventes se organizarem em pequenas redes. 

A Tribo de Dana não foi atingida. E nela Marina continuou a viver seus dias entediada e cheia de vontade de ver o mundo lá fora. Aos 18 anos, o respeito e a formalidade com que era tratada continuavam a incomodar, assim como o fato de ter que estar sempre sendo vigiada de perto por um dos guerreiros, que ela chama de Sombras.

Tanta inquietação acaba tendo consequências. Em um ato de desafio e rebeldia, Marina entra numa espécie de caverna, Sídhe, o lugar dos mortos e local proibido. Brian e Artur, dois de seus guerreiros, acabam indo junto. Em uma visão, Marina é avisada que para salvar seu povo terá que encontrar os Tesouros da Tribo de Dana. A partir daí, o trio passará por muitos perigos e aventuras. Na tentativa de reunirem os tesouros e retornaram para a fazenda, se veem em lugares cada vez mais estranhos, que não se parecem em nada com a Chapada e sequer com o Brasil, e encontram seres mágicos, com alguns dois quais precisam lutar. 

Marina é uma protagonista daquelas que dividem o leitor. Apesar de ter 18 anos, age como uma menininha mimada. Mas aí a gente pensa que deve ser bem chato conviver com tanto controle, crescer sendo vista como intocável e acaba relevando. Além do mais, conforme a trama segue e as coisas se complicam, ela vai amadurecendo e se tornando merecedora de nossa torcida. 

Narrado em terceira pessoa, o livro conta com uma escrita fluida e ágil - principalmente em sua segunda metade - dividida em capítulos curtos. Alguns personagens e algumas passagens me lembraram contos de fadas, dando ao livro um ar mais juvenil que adulto. Tal detalhe não me incomodou e acredito que não desapontará também aqueles que costumam gostar de aventuras com essa característica.

O uso da mitologia em uma distopia foi bem feita e funcionou bem. O fato da história ser ambientada no Brasil também rende pontos positivos, é sempre bom ler sobre cenários já conhecidos.

O livro faz parte de uma trilogia, portanto já esperava que muitas coisas ficassem em aberto para serem trabalhadas nos volumes seguintes. Mas, e aqui entra o ponto negativo da trama para mim, Dois mundos terminou sem terminar. O fim foi abrupto, sem desfecho para as situações apresentadas neste primeiro volume. A autora deixou um gancho para o segundo livro capaz de deixar o leitor curioso, mas ainda assim prefiro trilogias cujas histórias individuais tenham início, meio e fim a continuações que seguem exatamente de onde o livro anterior parou. Mas isso é questão de gosto, né?!

Recomendado para quem curte fantasia distópica! ;)

Gostou e quer ler? Boa notícia: vai ter sorteio do livro! Para participar é bem simples: leia as regras no final do post, preencha corretamente o formulário e boa sorte! ;)






Regras:

- A promoção começa dia 25/08/2017 e termina à meia-noite do dia 25/09/2017;
- O ganhador deve residir ou ter endereço de entrega no Brasil e preencher corretamente o formulário;
- As duas primeiras entradas do formulário são obrigatórias (seguir o blog pelo GFC e comentar na resenha). As demais, chances extras.
- O contato com o ganhador será feito por e-mail, que deverá ser respondido em até 72 horas. 
- Caso não haja resposta nesse período ou se o ganhador não tiver seguido as regras, perderá o direito ao prêmio e o sorteio será feito novamente; 
- O resultado será divulgado neste mesmo post e nas redes sociais do blog.
- O envio do livro será feito pelo blog e o prazo de envio é de até 60 dias úteis;
- Não nos responsabilizamos por atrasos, danos e extravios dos Correios.

- Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita. 

*Exemplar cedido pela editora.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo